Conselheiro do TCM de Goiás admite que pediu aposentadoria por pressão política

Oficialmente aposentado do Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás (TCM-GO), o conselheiro Nilo Resende diz estar de alma lavada. Ele, que vinha sofrendo pressões para assinar sua aposentadoria voluntária e, assim, abrir vaga para uma nova indicação da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) a uma cadeira do órgão, espera que o gesto sirva para a Casa refletir e “no mínimo” arquive o projeto de extinção do tribunal.

Foto: reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s